Shopping cenário de feminicídio adere à Sinal Vermelho

 

Estabelecimento em Niterói onde jovem foi esfaqueada tem agora Núcleo de Atendimento à Mulher

A campanha Sinal Vermelho não só tem fomentado denúncias de violência contra a mulher, como tem incentivado o fortalecimento da rede de proteção. A prova disso é que nesta segunda-feira (19), o Shopping Plaza de Niterói, no Rio de Janeiro, aderiu à campanha e conta agora com o 1° Núcleo de Atendimento à Mulher (Nuam). Durante a solenidade, a presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Renata Gil, ao lado do presidente da Associação dos Magistrados do Rio de Janeiro (Amaerj), juiz Felipe Gonçalves, ressaltou que a criação do órgão é exemplo de política pública efetiva no combate à violência contra a mulher.

O Nuam funcionará numa sala cedida pelo centro comercial, onde há pouco mais de um mês uma jovem foi esfaqueada. De acordo com as investigações, o autor do crime é um ex- colega da vítima que vivia um amor não correspondido.

A sala no shopping center seguirá os protocolos da Sinal Vermelho, pela qual a vítima, ao mostrar um X Vermelho na palma da mão, pede socorro.

“A importância de unir a criação desse espaço no Plaza Shopping, local onde aconteceu um feminicídio há muito pouco tempo, na frente de todas as pessoas que circulavam no shopping, é muito emblemática com a inauguração desse núcleo. A campanha Sinal Vermelho, mais o Núcleo, configuram a verdadeira política pública que precisamos na proteção às mulheres”, disse a magistrada.

Ao ressaltar que o momento é de trabalhar o “encorajamento”, destacou que a campanha tem a missão de facilitar a denúncia. “A criação da sala no shopping em Niterói, primeiro município a aderir formalmente à campanha durante a pandemia no ano passado, é muito significativa por ser uma área de circulação de pessoas de diversas classes sociais, o que vai permitir que essas mulheres se sintam efetivamente acolhidas ao fazer a denúncia. Então, é uma união de esforços que nós acreditamos que será muito promissora, inclusive com a padronização para outros municípios e Estados”, complementou Renata Gil.

O Nuam é resultado de uma parceria da Prefeitura de Niterói , por meio da Coordenadoria de Políticas e Direitos das Mulheres (Codim), com o centro de compras. É um dos resultados do apoio que a Amaerj tem disponibilizado ao enfrentamento à violência doméstica.

“A Amaerj não só apoia essa causa como participa ativamente dela. Ano passado, nós lançamos uma campanha de homens falando para homens agressores. Quando falamos de violência contra a mulher, pensamos imediatamente nas mulheres, mas temos que chamar os homens para esse debate. Não adianta tratarmos a ponta sem tratarmos a causa, que são os agressores. Então, pensemos também nos homens, vou conversar com a prefeitura para ver se conseguimos elaborar algum projeto pensando nos agressores, para ele não reincidir”, disse Felipe Gonçalves.


com informações da Amaerj
Daiane Garcez (Ascom)

Leave a Reply

Your email address will not be published.