“Queremos a ajuda dos países para tornar a campanha Sinal Vermelho uma política pública sem volta”, diz Renata Gil

Ascom AMB

Presidente da AMB participou de seminário internacional da Federação Latino-americana de Magistrados

A presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Renata Gil, apresentou a campanha Sinal Vermelho em um seminário internacional da Federação Latino-americana de Magistrados (Flam) que tratou da participação feminina nos tribunais. Na tarde desta quinta-feira (29), a magistrada também falou sobre a participação das mulheres nas cortes brasileiras.

“Queremos a ajuda dos países, especialmente da América Latina, para encampar a campanha Sinal Vermelho e tornar ela uma política pública sem volta”, disse Renata Gil. Por meio da campanha, mulheres que estavam encarceradas há anos conseguiram pedir socorro ao mostrar um X vermelho na mão para farmacêuticos.

Renata também falou sobre a participação das mulheres nas cortes e a responsabilidade em ser a primeira presidente mulher da AMB. “De acordo com a pesquisa da AMB “Quem somos e a magistratura que queremos”, o Brasil entre 1999 e 2000 teve uma ascensão de 38% na entrada de mulheres no Judiciário. De 2000 para 2010 esse percentual subiu para 41% e agora nessa década o percentual caiu para 34%. No Brasil, as mulheres correspondem a 52% da população. A participação feminina cresceu, mas ainda não chegamos lá”, disse a magistrada ao falar sobre a representatividade no Poder Judiciário.

A magistrada contou que no ano passado, quando estava em campanha pelo país, percebeu que as mulheres não querem só a representação, mas um legado de ações. “Hoje a nossa discussão é por que as mulheres não ascendem aos cargos de direção no Poder Judiciário. Sabemos que há entraves invisíveis, aqueles que a gente não conhece, e há os entraves materiais. No CNJ nós conseguimos 2 Resoluções importantes: a primeira cuida do enfrentamento à violência contra a mulher no Judiciário e a segunda estabeleceu metas que se dirigem a participação das mulheres em bancas de concurso, em comissões e funções de assessoramento”, disse.

A magistrada também falou sobre a tentativa de fazer os tribunais colocarem mulheres nas bancas de mestrado e de ingresso na magistratura.

O presidente da Federação Latino-americana de Magistrados, desembargador Walter Barone, realizou a abertura do evento e a magistrada Mirinda Vicenty moderou as falas das painelistas.

Assista ao evento completo aqui. Os painéis foram feitos em espanhol:

Mahila Lara

Assessoria de Comunicação da AMB

Leave a Reply

Your email address will not be published.