Operação Maria da Penha resulta na prisão de mais de 14 mil pessoas

Ao todo, 127 mil mulheres foram atendidas

Entre 20 de agosto e 20 de setembro de 2021, mais de 14 mil pessoas foram presas por violência doméstica, descumprimento de medidas protetivas e demais crimes contra a mulher. Os números são da Operação Maria da Penha, lançada em agosto deste ano com o objetivo de enfrentar a violência doméstica contra as mulheres e aprimorar o sistema de proteção às vítimas. A divulgação dos dados foi realizada nesta segunda-feira (27) pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

Ainda segundo a Pasta, outras 40 mil medidas protetivas de urgência foram acompanhadas por policiais civis. Ao todo, 127 mil mulheres foram atendidas, de acordo com os dados divulgados pelo governo federal.

A Operação foi coordenada pelo Ministério da Justiça para atender casos de violação da Lei Maria da Penha. O esforço concentrado contou com a operacionalização das forças de segurança estaduais e do Distrito Federal. Além disso, mais de 108 mil profissionais trabalharam para atender ocorrências ligadas à violação da Lei Maria da Penha, de acordo com o Ministério.

A Operação Maria da Penha contou com a parceria do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos; das Secretarias de Segurança Pública dos Estados e do Distrito Federal; do Conselho Nacional dos Comandantes-Gerais das Polícias Militares do Brasil (CNCG); do Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil (CONCPC); do Conselho Nacional de Justiça (CNJ); e do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Sinal Vermelho

Entre as atuais políticas públicas para incentivar a denúncia por parte das vítimas de violência doméstica, está a Campanha Sinal Vermelho. A iniciativa da AMB já virou lei federal. O Distrito Federal e outros 15 estados também já sancionaram alguma lei sobre a Sinal Vermelho.

A Campanha busca medidas efetivas contra a banalização da violência à mulher, principalmente incentivando o uso do “X” vermelho na palma da mão como formo silenciosa de denunciar o agressor.

Confira outros locais onde tramitam projetos de lei sobre a campanha, cartilhas, termos de adesão para donos de estabelecimentos que desejam aderir ao programa e mais informações no site da Campanha Sinal Vermelho. Acesse: sinalvermelho.amb.com.br.


Carlos Ribeiro (Ascom)

Leave a Reply

Your email address will not be published.