Ato inédito no Brasil reforçou o “X” da intolerância: Cristo veste Sinal Vermelho

No Dia do Magistrado, ato inédito no Brasil reforçou o “X” da intolerância

Em um dos principais pontos turísticos do País,  no Rio de Janeiro- RJ, a Magistratura brasileira destacou a causa mais nobre da população feminina – a vida. O “X” vermelho nas mãos do Cristo Redentor enfatizou uma nova era de combate à violência doméstica no país. O gesto de paz pediu basta à banalização da agressão
a mulher. O ineditismo também revelou a humanização do Poder Judiciário.

O evento foi desenhado pela presidente da AMB, Renata Gil, a fim de chamar a atenção da sociedade sobre os altos índices de maus tratos a mulheres. Essa foi mais uma estratégia inovadora da magistrada para conscientizar o Brasil sobre a dignidade do gênero feminino.

“As vidas das juízas Patrícia Acioli, Viviane do Amaral e de tantas outras que foram assassinadas precisam ser lembradas. Nós estamos aqui comemorando a Sinal Vermelho que mobilizou a nação em prol da dignidade da mulher. A campanha foi pensada e motivada por esse sentimento de que nós somos transformadores da sociedade”, disse Renata Gil ao lado da diretora do AMB Mulheres, Domitila Manssur, e das conselheiras do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) Maria Cristiana Ziouva e Tânia Reckziegel.

A presidente acrescentou ainda: “… a magistratura brasileira tem 18 mil componentes que trabalham pelos 230 milhões de brasileiros. Esse evento é uma de nossas entregas à sociedade”.

Em comemoração ao Dia do Magistrado foi realizado o culto ecumênico com a participação do reitor do Santuário Cristo Redentor, padre Omar, e do pastor da Igreja Batista da Lagoinha Felippe Valadão.

O prefeito da capital, Eduardo Paes, fez a abertura do evento.

” Estamos vivendo um tempo de renascimento no Rio. É uma honra recebê-los aqui… Para nós é um orgulho receber esse encontro nacional de todas as associações de Magistrados do Brasil”, agradeceu.

A cerimônia contou com a presença de várias autoridades do Judiciário, entre elas, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux. Em sua fala o ministro destacou a democracia, ao abordar os valores da magistratura, e ressaltou a importância das mulheres.

“Justiça é sinônimo de solidariedade e de democracia. No tocante à solidariedade, gostaria de lembrar a todos, que depois de uma luta ferrenha entre barricadas vencendo o nazismo e o fascismo, nós conseguimos consagrar a proteção da pessoa humana. O que se inclui, evidentemente, em primeiro lugar, as mulheres. E essa proteção da pessoa humana, hoje, ilumina o nosso universo jurídico. Daí a razão pela qual essa comemoração ao sucesso da Sinal Vermelho, que eu como homem, tive a oportunidade de por ( o “X”) na minha mão. Isso significa exatamente proteção da dignidade de nossas mulheres. Se não fossem elas, nós não estaríamos aqui”, afirmou.

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Humberto Martins destacou a importância da campanha Sinal Vermelho para a nação Brasileira.

“Este sinal vermelho significa um alerta, de que o mundo precisa de mais amor para ter o respeito, a dignidade, a igualdade, a fraternidade e a lealdade… Devemos ter em mente de que não podemos ter violência contra o ser humano. A mulher que dá a vida, a mulher que tem a sabedoria, a mulher que tem a criação da própria humanidade”, enfatizou.

O presidente da Amaerj, Felipe Gonçalves, ressaltou que a Magistratura do Rio de Janeiro também é sensível à pauta feminina.

“Hoje é dia de comemorarmos o êxito da campanha Sinal Vermelho. A Magistratura Fluminense apoia a bastante tempo todas as manifestações em favor as mulheres… Esta luta deve ser de toda sociedade”, afirmou.

Também participou do evento, o ministro Dias Toffoli (STF) .

Estiveram presentes representantes da AMB e presidentes de associações. O presidente Henrique Carlos de Andrade Figueira (TJ-RJ) e o procurador-geral do Ministério Público do Rio de Janeiro, Luciano Mattos também prestigiaram o evento.

Além disso, compareceram ao evento, as deputadas federais Margarete Coelho, Soraya Santos.


Jonathas Nacaratte (ASCOM)

Leave a Reply

Your email address will not be published.