Comissão Interinstitucional reúne-se para traçar estratégias da Sinal Vermelho

 

Durante segundo encontro, grupo se sensibilizou para a necessidade de fortalecer a campanha na zona rural

A Sinal Vermelho, que desde sua criação, há um ano, ganhou forma, leis, parceiros e apoiadores, agora, tem uma Comissão Interinstitucional. A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) constituiu o grupo que ficará incumbido de elaborar propostas e executar as atividades relacionadas à campanha, bem como acompanhar os resultados da iniciativa pelo Brasil e pelo mundo. A segunda reunião ocorreu nesta terça-feira (29) de forma híbrida.

“A campanha ganhou enormes proporções e hoje, em consolidação no cenário nacional, exige a criação de um grupo para tutelar e alavancar essa iniciativa que tanto nos orgulha por socorrer e salvar vidas, além de dar a oportunidade de tirar nosso país da quinta posição que mais agride mulheres”, discursou a presidente da AMB, Renata Gil, às demais integrantes do grupo.

A comissão debateu sugestões alusivas à capacitação de multiplicadores da campanha, dentre eles, parlamentares de todas as esferas de poder, além de instituições parceiras e locais onde as mulheres podem mostrar o “X” vermelho na palma da mão como pedido de socorro.

O momento foi também de discutir estratégias focadas nas escolas, de maneira a combater a prática desde cedo, a partir do diálogo com crianças e adolescentes. Outro público destacado pela comissão foram as mulheres que residem em áreas rurais, onde o acesso à informação pode ser mais precário.

O grupo analisou alguns dos resultados após um ano de existência da campanha. Foi lembrado que a Sinal Vermelho é lei em dez estados e no Distrito Federal e é tema de projetos de lei em diversas outras localidades. Ressaltaram-se ainda as parcerias com instituições públicas e privadas e as tratativas com embaixadas para levar a Sinal Vermelho para outros países.

“A formação da Comissão Interdisciplinar permite a estruturação em bases sólidas e diversificadas, com o entendimento das necessidades dos setores públicos e privados, indispensáveis ao desenvolvimento e à ampliação da Sinal Vermelho, que já constitui sinal nacional de enfrentamento à violência contra a mulher”, reforçou a coordenadora-adjunta da comissão, Maria Domitila Prado Manssur.

Participou como convidada a deputada federal Greyce Elias (Avante-MG), parceira no PL 741/2021 (Pacote Basta), aprovado por unanimidade na Câmara dos Deputados. “Coloco-me à disposição, para que a gente possa efetivar esse trabalho de enfrentamento e mostrar a essas mulheres o papel que exercem e o valor que elas têm”, manifestou.

A Comissão Interinstitucional da Sinal Vermelho foi instituída, neste mês, por meio do Ato Executivo nº 102/2021, com a seguinte composição: diretoras da AMB Mulheres, Maria Domitila Prado Manssur e Helena Alice Machado Coelho; a supervisora da Política Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Maria Cristiana Simões Amorim Ziouva; e a secretária-geral da AMB, Julianne Marques.

“A campanha tem agora uma capilaridade imensa. O fato de as vítimas saberem que têm outras pessoas preocupadas com elas é muito importante. É o que a campanha faz, mostra a essas mulheres que não estão sozinhas”, ressaltou Maria Cristiana Ziouva.

A comissão fará reuniões ordinárias quinzenais e, sempre que necessário, haverá convocações extraordinárias.


Daiane Garcez (Ascom)

Leave a Reply

Your email address will not be published.